Lincoln SS-100-X? Assassinato de John F. Kennedy - 55 anos atrás.

Em 22 de novembro de 1963, o presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy foi morto com um tiro na cabeça. Ele estava fazendo uma visita à cidade texana de Dallas, com o objetivo de consolidar a unidade do Partido Democrata. O tiro teria sido disparado por Lee Harvey Oswald, morto dois dias depois.

O assassinato de John F. Kennedy, o trigésimo-quinto Presidente dos Estados Unidos, ocorreu na sexta-feira, dia 22 de novembro de 1963, em Dallas, Texas, Estados Unidos às 12:30 CST (18:30 UTC). Kennedy foi mortalmente ferido por disparos enquanto circulava no automóvel presidencial na Praça Dealey. Foi o quarto presidente dos Estados Unidos a ser assassinado, e o oitavo que morreu no exercício do cargo.

Três investigações oficiais concluíram que Lee Harvey Oswald, um empregado do armazém Texas School Book Depository na Praça Dealey, foi o assassino. Uma delas concluiu que Oswald atuou sozinho e outra sugeriu que atuou com pelo menos um cúmplice. O assassinato sempre esteve sujeito a especulações e dúvidas, sendo origem de um grande número de teorias de conspirações.

O nome é estranho: SS-100-X. Era assim que o Serviço Secreto dos Estados Unidos se referia à limousine Lincoln Presidencial, que foi usada pelo 35º. Presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, há exatamente 55

anos, no dia em que foi assassinado em Dallas, no Texas.

O carro foi feito a partir de um Lincoln 1961, modelo 74A conversível, que custava na época US$ 7.347. Depois o carro foi todo modificado dentro das especificações do Serviço Secreto, pelo Advanced Vehicles Group, da Ford, e pela empresa Hess & Eisenhardt, de Cincinnati, Ohio. Juntas, Ford e Hess criaram um dos mais modernos (para aqueles dias) carros de desfile do planeta. O modelo foi entregue na Casa Branca em março de 1961, depois de modificações que custaram ao governo dos Estados Unidos cerca de US$ 200 mil.

O carro era originalmente pintado de “midnight blue”, uma cor especial, e foi equipado com um motor 430V8 preparado, de 350 cv. A distância entre-eixos foi aumentada de 3.378 mm para 3.962 mm, com acréscimo na carroceria entre as portas dianteira e traseira. O carro tinha à disposição vários tipos de teto, incluindo uma bolha transparente, um teto de metal e uma meia capota de plástico. Tinha ainda rádio de duas vias, estribos dobráveis e puxadores, para uso dos agentes do SS.

Com tantas mudanças, o peso aumentou de 2.365 kg para 3.538 kg, e apesar disso, o carro não era blindado. Toda a suspensão precisou ser reforçada e um banco traseiro que se elevava de maneira hidráulica foi adicionado, o mesmo onde o presidente morreu. Era para ele ser visualizado melhor pelo público. No dia do assassinato, o carro já estava equipado com a dianteira do modelo de 1962 (pára-choque, grade, capô etc.). Quando usava a capota tipo bolha, a temperatura interna ficava muito alta, e por causa disso não era usada nos desfiles. Foi esse o motivo do carro ser utilizado sem nenhuma proteção em Dallas.

Depois do assassinato, o carro voltou para a Hess & Eisenhardt para ser outra vez modificado. O Lincoln recebeu blindagem de titânio, vidros à prova de balas e teto fixo. Rodas de alumínio maciço passaram a ser usadas, com pneus que podiam rodar mesmo sem ar. O carro foi equipado ainda com um mais atual sistema de comunicação, incluindo rádio para comunicação direta com a Casa Branca

O Lincoln permaneceu um bom tempo em uso, tendo rodado cerca de 80.000 km e voado para os destino onde seria usado por mais de 1.600.000 km. Ele foi substituído no uso presidencial em 1967 e usado em trabalhos menos importantes, até que em 1978 foi aposentado de vez. Hoje está no Henry Ford Museum, perto de Detroit.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Pinterest Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2016 Carro de Cena - Carro de Cena Locadora Eireli 18.311.179.0001-63 Alameda Terracota 185  cep 09531-190